quinta-feira, 10 de junho de 2010

A capoeira e o samba no futebol-arte

Outra Copa do Mundo está aí, e nada mais apropriado que falar de futebol. Neste caso, sem deixar de lado a capoeira que, assim como o samba, teve um papel importante na formação do futebol brasileiro.

Trazido da Inglaterra por Charles Miller em 1894, o futebol era inicialmente considerado um"esporte de elite". Os negros e pobres, a princípio, não tinham vez no futebol.

Porém a simplicidade do esporte facilitou à sua popularização e, aos poucos o futebol passou a ser jogado nos mais diversos lugares com bolas improvisadas com latas amassadas, jornal, ou mesmo uma laranja.

Na década de 20, com a transição do amadorismo para o profissionalismo no futebol brasileiro, as restrições aos negros e mestiços começaram a se atenuar. Mas foi em 1923, que o Vasco da Gama chocou ao disputar o campeonato carioca com uma equipe de negros e brancos pobres. Colocando em primeiro plano a habilidade ao selecionar os jogadores, e deixando de lado os quesitos status e sobrenome, o Vasco foi campeão carioca por dois anos consecutivos.

Mas não foi tão fácil assim conquistar a igualdade no futebol. Da resistência dos brancos e ricos foi criada uma regra onde, uma falta violenta cometida por um branco contra um jogador negro era marcada pelo juiz e o jogo prosseguia, mas quando era um negro cometia falta violenta sobre um branco, o juiz apitava e, antes que a falta fosse cobrada, o branco tinha direito de revidar a violência.

Desse modo, para evitar bolas divididas, os negros trouxeram para o futebol o gingado da capoeira e do samba, recriando o drible, reinventando o futebol dos ingleses e inventando o futebol-arte.

Da mesma forma que o drible curto de Domingos da Guia foi inspirado no miudinho do samba, conforme informado pelo próprio Domingos, também é evidente a relação de movimentos da capoeira com a bicicleta de Leônidas, o corta-luz, o carrinho e a tesoura.

Como lembra o historiador, professor e escritor brasileiro Joel Rufino, em Bola Brasilis, texto estampado no livro coletivo Brasil Bom de Bola, por volta de 1900 a capoeira era proibida, então o negro adotou o futebol e colocou nele seu gingado e malandragem.

Não foi à toa que Zico, a frente da seleção japonesa, contratou um professor de capoeira para ensinar a nossa arte aos jogadores japoneses, procurando passar a eles um pouco da ginga e do jogo de cintura que o brasileiro tem.

Fontes:
Jornal do Capoeira
Mário Prata Online
Ministério da Cultura

Nenhum comentário:

Quem faz o Capoeira de Vênus

Venusiana
Meu nome de verdade é Neila, no espelho, alieN, o que é só mais um motivo dessa brincadeira espacial. Adoro ler e escrever, por isso me formei jornalista. E foi fazendo estágio de jornalismo que tive meu primeiro contato com a capoeira e me apaixonei. Comecei a treinar na Escola de Capoeira Armagedon, com o Mestre Del, e hoje sou pré-estagiária do grupo. Ainda tenho muito o que aprender sobre capoeira, por isso não fiz esse blog para ensinar nada a ninguém, apenas para trocar informações sobre essa arte maravilhosa. Deu tão certo que hoje escrevo também a coluna Capoeira Mulheres, no Portal Capoeira.

Meu e-mail: capoeiradevenus@gmail.com
Visualizar meu perfil completo
Ocorreu um erro neste gadget

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO