domingo, 4 de janeiro de 2009

Você conhece Pierre Verger?

Vou confessar: antes de fazer este blog eu nunca tinha ouvido falar em Pierre Verger. Ou, se De Pierre Vegertinha ouvido, me passou despercebido. Mas depois de criar o Capoeira de Vênus, vez ou outra eu me deparava com esse nome nas minhas pesquisas. Era exposição em show, citações, uma foto de Verger ilustrando um cartaz, ilustrando revista... Se hoje eu sei quem é Pierre Verger, é por causa do Capoeira de Vênus, então nada mais justo do que compartilhar mais este novo conhecimento aqui.

Pierre Verger, nascido em 1902 em Paris, teve uma vida convencional até os 30 anos, quando a morte da mãe e a descoberta de duas paixões, fotografia e viagens, o transformaram em um viajante errante. Foram quase 14 anos consecutivos de viagens, sobrevivendo exclusivamente da fotografia. Voltava a Paris, sua cidade natal, apenas de passagem, para rever amigos e fazer contatos para novas viagens.

Em 1946, Verger desembarcou na Bahia e se encantou de tal forma com a hospitalidade, a harmonia e a riqueza cultural de Salvador, que fez da cidade sua nova casa. Na companhia do povo baiano, na maioria afro-descendentes encontrou, além de personagens para suas fotos, também amigos, e uma nova cultura a ser registrada. Assim tornou-se autor de importantes registros fotográficos da capoeira e demais costumes da nossa população negra.

Mas foi a religiosidade, através do candomblé, que mais lhe chamou atenção. Pierre Verger tornou-se um estudioso do culto aos orixás e, este interesse, lhe rendeu uma bolsa para estudar rituais na África, para onde partiu em 1948.

A história, os costumes e, principalmente, a religião praticada pelos povos iorubás e seus descendentes, na África Ocidental e na Bahia, tornaram-se temas centrais de suas pesquisas e sua obra. Verger passou a viver como um mensageiro entre esses dois lugares, transportando informações, mensagens e objetos.

Em seus últimos anos de vida, a grande preocupação de Verger passou a ser garantir a sobrevivência do seu acervo e facilitar o acesso das pessoas aos seus estudos. Na década de 80, a Editora Corrupio cuidou das primeiras publicações no Brasil. Em 1988, Verger criou a Fundação Pierre Verger (FPV), transformando sua própria casa num centro de pesquisa. Em fevereiro de 1996, Verger faleceu, deixando à FPV a tarefa de prosseguir com o seu trabalho e, em maio de 2008, foi lançado o livro Carybé & Verger - Gente da Bahia.

Nenhum comentário:

Quem faz o Capoeira de Vênus

Venusiana
Meu nome de verdade é Neila, no espelho, alieN, o que é só mais um motivo dessa brincadeira espacial. Adoro ler e escrever, por isso me formei jornalista. E foi fazendo estágio de jornalismo que tive meu primeiro contato com a capoeira e me apaixonei. Comecei a treinar na Escola de Capoeira Armagedon, com o Mestre Del, e hoje sou pré-estagiária do grupo. Ainda tenho muito o que aprender sobre capoeira, por isso não fiz esse blog para ensinar nada a ninguém, apenas para trocar informações sobre essa arte maravilhosa. Deu tão certo que hoje escrevo também a coluna Capoeira Mulheres, no Portal Capoeira.

Meu e-mail: capoeiradevenus@gmail.com
Visualizar meu perfil completo
Ocorreu um erro neste gadget

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO